686 palavras sobre agências, clientes e confiança.

Por que deveria você confiar em uma agência de comunicação? Por que deveria ela confiar em você?

A relação entre cliente e agência deveria ser sempre baseada em mútua confiança, ou seja, o cliente confia na agência e esta faz o mesmo em relação àquele, mas nem sempre isso é verdade. Alguns colegas da área que lerem isso vão me rotular como utópico e dizer que isso nunca acontece assim. Os hipócritas vão dizer que em suas agências é sempre assim. Os honestos, que isso não é verdade em todos os casos, mas que buscam que seja todos os dias. E ainda há aqueles que não vão falar nada porque tudo o que disserem poderá ser usado contra eles. Mas a pergunta é, dá pra confiar? Quando?

Algumas agências

Agências de comunicação são empresas que, para desempenharem suas funções como manda o figurino, devem, ou pelo menos deveriam, ter acesso a um grande número de informações privilegiadas das empresas que atendem. Infelizmente não é isso que acontece e nem sempre podemos culpar as agências por isso porque muitos anunciantes vêem suas agências como “fazedores de arte” e, assim, sub-valorizam o trabalho delas que, por necessidade, continuam reféns da situação. Ora, a mim parece incongruente que se dê dessa forma, uma vez que quanto mais a agência ganhe, melhor esta poderá atender os interesses do cliente.

Alguns clientes

Os clientes, por sua vez, devem, ou pelo menos deveriam, ver a comunicação como sua mais importante força no processo de relacionamento com os seus consumidores e as agências, como os parceiros capazes de identificar que desafios a comunicação precisa vencer e apresentar soluções inteligentes capazes de fazê-lo. Resultado pelo que as agências se auto-intitulam “as mais criativas”. Infelizmente não é sempre assim e não se pode culpar os clientes por isso.

Quando têm respostas prontas para todo e qualquer problema; quando não dedicam tempo e investimento suficientes em pesquisa e planejamento; quando não superam as expectativas; quando são desleais com o mercado e cobram abaixo do recomendado; quando, por imaturidade ou falta de caráter, ao mesmo tempo em que os atendem, namoram com o concorrente do cliente porque aquele investe mais na mídia. Estas agências não são dignas de merecer ter acesso a informações privilegiadas das operações de seus clientes.

A confiança

A confiança não é coisa que se tem em estoque, precisa ser conquistada. As empresas são diferentes mesmo. São formadas por pessoas diferentes, portanto, tem culturas de trabalho diferentes, o que é muito bom. Cada agência pode e deve se limitar a oferecer ao mercado aquilo que sabe e é melhor. O problema é que o discurso que praticam deve, ou pelo menos deveria ,ser compatível com o trabalho que fazem.

Alguns clientes deveriam entender que agências não são depósitos de insumos e investir nelas, remunerá-las justamente e desconfiar de propostas que firam as Normas Padrão da Atividade Publicitária, que foram feitas também para proteger também os seus direitos.

O dever de casa

A relação de confiança, o respeito dos nossos clientes e do mercado, a seriedade e a competência são valores dos quais não abrimos mão. Tanto no modo como nos portamos como no comportamento de nossos clientes. Graças a isso temos progredido ano após ano. Temos construído uma relação inabalável com nossos clientes. Quando nossos valores não são os mesmos, mais cedo ou mais tarde um acaba descobrindo e a relação termina. Sem ressentimentos; sem cara feia. Afinal, todos podem amadurecer e um dos nossos maiores dons é o de reconhecer que não somos perfeitos e estamos abertos a aprender com eles. Há poucos dias uma empresa veio nos visitar por ter encontrado em nossos materiais o tipo de postura que, acreditam, vai ao encontro de suas expectativas. Percebe o valor que isso tem?

Temos falado em comprometimento com resultados. Repetimos que inteligência criativa é o nosso negócio. Produzimos comunicação que faz vibrar. Nossas paredes estão cheias de títulos que reconhecem a capacidade criativa das pessoas que trabalham aqui e é claro que isso nos enche de orgulho, mas nunca a ponto de ferir a certeza de que podemos melhorar sempre. Porque é o reconhecimento do mercado, a CONFIANÇA de nossos clientes, os nossos maiores prêmios e cuidamos deles como ninguém.autor J Luiz

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *