Uma questão de respeito.

O trabalho poderia ser muito mais agradável para todos se as pessoas adotassem práticas de boas maneiras no escritório, se ninguém esquecesse de dizer “por favor” e “obrigada” e esperassem a vez para falar. Que tal começar o próximo ano utilizando mais as palavras OBRIGADO!, DESCULPE-ME!, COMO VAI?

Apenas um terço dos alto-executivos e gerentes acreditam que as pessoas de seus departamentos ou de suas organizações usam práticas de boas maneiras sempre, de acordo com uma pesquisa global da NFI Research.

Essa não é uma boa notícia para aqueles que não usam boas maneiras, porque a grande maioria dos líderes de negócio diz que isto é fundamental para uma carreira avançar. Mas e quando o líder é uma das pessoas da empresa que não utiliza a ferramenta das “boas maneiras”?

Boas maneiras são mais uma coisa perdida na era do faça-mais-com-menos. “A educação e a cortesia são as primeiras a sofrer em épocas de pressão e estresse”, foi uma das constatações da pesquisa. Há a crença de que o estresse e a pressão são desculpas válidas para esse tipo de comportamento, e quando adotado por pessoas em posição superior ou de autoridade, há muita relutância em corrigi-las ou desafiá-las.

Algumas das posturas de boas maneiras não estão relacionadas com o ambiente de trabalho, mas sim com a criação.

Boa educação e caráter são pré-requisitos.

Educação é uma indicação de caráter. A maneira dos funcionários tratarem uns aos outros é uma boa indicação de como eles tratarão um cliente em uma situação estressante. No final, o uso de boas maneiras é um sinal de respeito pelo outro e, sem respeito mútuo, é difícil trabalhar de forma eficiente em equipe. As práticas de boas maneiras no ambiente de trabalho devem ser as mesmas praticadas fora dele. Nos negócios, são parte importante da imagem profissional que uma empresa quer passar para seus clientes. Elas mostram classe, independente da posição ou do status.

Enquanto a escalada em uma organização é baseada em desempenho e resultados, é difícil checar como um indivíduo interage com outros. É fundamental que um bom executivo se dê; bem com os colegas de trabalho, e a boa educação é o principal ingrediente.

Então, somado à competência e performance, educação e respeito deveriam ser adicionados aos ingredientes necessários para o sucesso profissional.

“O bom-humor não custa nada e compra tudo.”

Fonte: CIO – Estratégias de negócios e TI para líderes corporativos.

autor Ana

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *