Slogan

O que ele faz é uma promessa da sua empresa para o consumidor. Olhe bem para o seu e se pergunte “é ele uma promessa verdadeira ou só uma frase sonora”. 

Passeávamos pela praia quando minha esposa, que também é publicitária, me perguntou: “você acha que um pequeno negócio, um restaurante, por exemplo, precisa ter um slogan?”. Logo me veio a imagem de um daqueles pequenos restaurantes de praia, rústico, com vigas de madeira e telhado à mostra; mesas com toalhas brancas; cadeiras de palha; garçons de avental e, ao fundo, um balcão rústico sobre o qual pendia uma placa onde estaria o “lema” da casa, que poderia ser qualquer coisa como: “Nossa alegria é servir bem”.

Com que expectativa você sentaria à mesa do estereótipo de restaurante praiano que imaginei? A de que seria muito bem atendido. Mas se o garçom não estivesse lá muito amistoso, ou a comida demorasse, ou ainda, se a toalha estivesse suja, pronto, lá se foi a imagem do lugar.

Não bastam frases sonoras ou imagens bem tratadas se o posicionamento estiver errado. Senão fica o que a empresa gostaria que fosse, mas não convence. Tem de ser absolutamente verdadeiro e perceptível a olho nu. A relação dos consumidores com as marcas tem diferentes estágios desde o anúncio até a recompra.

É preciso que você e toda a sua empresa tenham clareza do posicionamento assumido. O slogan deve ser a tradução disso. Para David Ogilvy, posicionamento é “o que o produto faz e a quem se destina”. Para posicionar o sabonete Dove direcionou esforços para um público específico e prometeu um benefício claro ao dizer “com um ¼ de creme hidratante”. Qual é o slogan (ou a promessa) da Dove mais de meio século depois? ¼ de creme hidratante!

Nossos clientes exigem que participemos dessa discussão com eles. Quando não o fazem, nós é que exigimos deles. Por isso, vou te dar umas boas idéias – e de graça – que podem ajudar:

1 – Envolva a equipe da sua agência para avaliar se a forma como vocês estão se posicionando é realmente a melhor e se a comunicação que estão desenvolvendo traduz isso;

2 – Avalie que percepção os clientes que você deseja atingir têm da sua marca. Não se pode mensurar resultados sem antes conhecer o cenário.

3 – Se a sua agência não tem esse perfil, não cobre isso dela, contrate uma que tenha.

4 – Nunca esqueça que agências e clientes têm de ser parceiros nos negócios. Se você trata a sua como a um fornecedor de materiais, não vá logo pondo a culpa nela. Mude sua visão e passe a exigir mais dela.

5 – Se quiser falar mais sobre posicionamento, pode me escrever.

Muitas grandes empresas desperdiçam fortunas em comunicação por não dedicarem tempo e investimento nisso. São supermercados; farmácias; indústria de alimentos; magazines… talvez até a sua empresa. Adotam posicionamentos tão ruins que não convencem nem os vizinhos.

Qualquer um, seja uma grande companhia ou o “boteco dos amigos”, pode lançar mão de um slogan como forma de facilitar a percepção de seus clientes sobre o que esperar dela. Escrito numa placa sobre o balcão ou em centenas de outdoors, desde que seja verdadeiro.autor J Luiz

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *